Reconstrução com expansor

Esta técnica pode ser empregada para as pacientes que precisam retirar toda a mama (mastectomia). É indicada quando é necessária a remoção ampla da pele da mama, para pacientes que desejam aumentar o tamanho das mamas ou como reconstrução tardia em pacientes que já fizeram mastectomia e não reconstruíram

Como é feita: Envolve a reconstrução imediata com expansor temporário, que é colocado parcialmente preenchido com soro atrás do músculo peitoral maior e da pele. Este expansor é como se fosse uma prótese vazia. O seu cirurgião irá preenchê-lo com soro a cada 21 dias no consultório até que ele atinja a forma e o volume ideais. Após isto (ou após o término do seu tratamento oncológico), deve-se realizar uma nova cirurgia para troca do expansor pela prótese definitiva.

imagem5

Fig 5: Expansor da mama

Quais as vantagens: A reconstrução com expansor é rápida, dura cerca de 40 minutos. Este procedimento traz a vantagem da rapidez com que ele é realizado e do pós-operatório mais tranqüilo do que de uma cirurgia de rotação de tecidos (como o da barriga, por exemplo), que são geralmente de maior porte e envolvem maiores riscos.

Quais os riscos: Os riscos estão mais relacionados ao expansor e são semelhantes aos riscos das próteses. Como ele é um corpo estranho, o organismo precisa se adaptar à sua presença. E isto ocorre na grande maioria das pacientes. O risco de perda do expansor por rejeição ou infecção é inferior a 10% dos casos neste tipo de cirurgia. A desvantagem do expansor é que ele é temporário, sendo necessária uma segunda cirurgia para troca pela prótese definitiva. Também podem ocorrer problemas com cicatrizes, que aparecem geralmente em pacientes com tendência a cicatriz quelóide (grossa e elevada) ou hipertrófica (grossa) e que podem ser corrigidos em um segundo tempo, após o término do tratamento oncológico.

Como é o pós-operatório: O pós-operatório na maioria das vezes é tranqüilo e indolor. Um pouco de desconforto pode existir com o expansor no início, para adaptação. Existem alguns cuidados especiais que devem ser tomados. O dreno do expansor geralmente é retirado entre 48-72h, na dependência da quantidade de drenagem. Nos casos onde o esvaziamento axilar foi realizado, o dreno axilar permanece mais tempo. É necessário o uso de um sutiã modelador noite e dia durante o primeiro mês. Devem-se evitar movimentos amplos e bruscos dos braços e também não levantar peso. A movimentação normal para alimentação e higiene pessoal é permitida e não causa prejuízo ao resultado final. As feridas cirúrgicas não devem ser molhadas nas primeiras 48h. Após este período, a paciente fica apenas com as fitas adesivas no local, que tem como objetivo reduzir a tensão e melhorar o aspecto final da cicatriz. Elas podem ser molhadas durante o banho, sem problemas. É necessário apenas mantê-las secas. Serão troca- das pelo seu médico e retiradas com cerca de 20 dias de pós- operatório. Recomenda-se não molhar a saída dos drenos até que os mesmos sejam retirados.